Arquivos Arte do Trabalho – Página 4 de 4 – René Mendes

Arte do Trabalho

  • 21 de maio de 2016

    Balada das Arquivistas – Vinicius de Moraes

    Oh jovens anjos cativos
    Que as asas vos machucais
    Nos armários dos arquivos!
    Delicadas funcionárias
    Designadas por padrões

  • 14 de maio de 2016

    Pedro Pedreiro – Chico Buarque

    Pedro pedreiro penseiro esperando o trem
    Manhã parece, carece de esperar também
    Para o bem de quem tem bem de quem não tem vintém
    Pedro pedreiro fica assim pensando

  • 7 de maio de 2016

    Perguntas de um Trabalhador que lê – Bertolt Brecht

    Quem construiu a Tebas de sete portas?
    Nos livros estão nomes de reis.
    Arrastaram eles os blocos de pedra?
    E a Babilônia várias vezes destruída –
    Quem a reconstruiu tantas vezes? Em que casas
    Da Lima dourada moravam os construtores?

  • 30 de abril de 2016

    Lamento Boricano – Rafael Hernández Marín

    Sai louco de felicidade com seu carregamento
    para a cidade, ai, para a cidade
    Leva em seu pensamento todo um mundo cheio de
    Felicidade, sim, de felicidade
    Pensa em remediar a situação do lar que é toda a sua ilusão, sim

  • 23 de abril de 2016

    Literatura de Cordel – Antônio de Lisboa e Edmilson Ferreira

    Vinte e oito de abril,
    Em diversos continentes,
    Eventos homenageiam,
    De maneiras diferentes,
    Aos trabalhadores vítimas
    De doenças e acidentes.

  • 16 de abril de 2016

    Censo Industrial – Carlos Drummond de Andrade

    Que fabricas tu?
    Fabrico chapéu
    feito de indaiá.
    Que fabricas tu?
    Queijo, requeijão.
    Que fabricas tu?
    Faço pão-de-queijo.

  • 9 de abril de 2016

    Cidadão – Lúcio Barbosa

    Tá vendo aquele edifício, moço?
    Ajudei a levantar
    Foi um tempo de aflição
    Eram quatro condução
    Duas pra ir, duas pra voltar

  • 2 de abril de 2016

    A Moça Tomando Café – Cassiano Ricardo

    Quedê o sertão daqui?
    Lavrador derrubou.
    Quedê o lavrador?
    Está plantando café.
    Quedê o café?
    Moça bebeu.

  • 26 de março de 2016

    Os Homens do Nitrato – Pablo Neruda

    Eu estava no salitre, com os heróis obscuros,
    com o que cava neve fertilizante e fina
    na casca dura do planeta,
    e apertei com orgulho suas mãos de terra.

  • 19 de março de 2016

    A Tecelã – Mauro Mota

    Toca a sereia na fábrica
    e o apito como um chicote
    bate na manhã nascente
    e bate na tua cama
    no sono da madrugada.