O que estou lendo – René Mendes

O que estou lendo

 

Mário de Andrade com a Samaúma, entre Santo Antônio e Porto Velho, nos limites entre Amazonas e Mato Grosso, em viagem ao Amazonas, 1927 - Acervo do IEB

Mário de Andrade no tronco de uma Samaúma, em viagem ao Amazonas, 1927 – Acervo do IEB

A leitura é uma das minhas atividades mais prazerosas. Não é raro ler mais de um livro ao mesmo tempo, sendo eles muitas vezes complementares em meus interesses.

Os livros que estou atualmente lendo são uma combinação de finalidades de entretenimento, de cultura geral e de textos profissionais. Nesse momento, o interesse maior está em interpretações do Brasil e em homens e mulheres esquecidos que fizeram sua história.

Muitos são os autores que se dedicaram a propor interpretações do Brasil. Nesse momento, dialogo com livros de dois deles.

O primeiro, de autoria de Mario de Andrade (que morreu no ano em que nasci, 1945), é O Turista Aprendiz, praticamente uma combinação destas três dimensões. Sempre culto, “multidimensional” e instigante, Mario escreveu uma espécie de “diário” de suas principais viagens realizadas no interior do país, e que foram decisivas na formação de sua sensibilidade e interpretação do Brasil. Minha curiosidade maior refere-se às “viagens pelo Amazonas até o Peru, pelo Madeira até a Bolívia por Marajó até dizer chega” (como ele mesmo intitulou), de maio a agosto de 1927. Além do entretenimento, busco pistas para minha linha de estudos sobre homens e mulheres esquecidos que fizeram o Brasil. O exemplar que estou lendo foi publicado pela Editora Itatiaia (Belo Horizonte) em 2002, e traz excelente texto de introdução e notas de Telê Porto Ancona Lopez.

capamedicosinterpretesdobrasil

O segundo livro também é uma combinação, desta vez entre cultura geral e leituras profissionais, e foi lançado bem recentemente, em 2015: Médicos Intérpretes do Brasil. Publicado pela Hucitec (São Paulo), tem como organizadores Gilberto Hochman e Nísia Trindade de Lima, professores e pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde, da Casa de Oswaldo Cruz – Fiocruz (Rio de Janeiro). São 640 páginas, compostas por 29 capítulos, com a participação de 31 autores. Cada um analisou um médico e suas contribuições para tentar interpretar o Brasil. Uma riqueza de conteúdo e um grande e prazeroso desafio de leitura e reflexão.

Recomendo a leitura.

Tags:, , , ,